Pré-estreia de “Planeta dos Macacos – O Reinado” leva personalidades ao cinema em São Paulo

Aconteceu no último dia 7 a pré-estreia do filme “Planeta dos Macacos: O Reinado”. O longa segue a história dos primatas inteligentes e acontece anos depois da Guerra pelo Planeta dos Macacos de 2017. A sessão de lançamento movimentou a cidade de São Paulo, levando personalidades, formadores de opinião e influenciadores ao Cinemark do Shopping Cidade Jardim para conferir o novo ato da franquia.

 

Entre os convidados pela Casé Comunica para prestigiar o lançamento da saga, estiveram presentes os rappers e cantores Emicida e Rashid, a modelo e apresentadora Carol Ribeiro, a atriz Eunice Baía, o ator Tiago Barbosa, o cantor Rico Dalasam, a comediante GKay, a empresária Ana Fontes e outras personalidades.

 

O novo capítulo da saga chegou aos cinemas no dia 9 de maio e segue a história de um jovem primata que, movido por sua curiosidade, embarca numa aventura reveladora e revolucionária, mudando tudo o que foi aprendido até ali e colocando em questão o futuro dos macacos e da humanidade.

Créditos: Humberto Moreira

Para este Natal, Brownie do Luiz aposta em Chocotone

A temporada de Natal chegou repleta de surpresas deliciosas no universo do Brownie do Luiz. Após o lançamento do Veneno da Lata sabor Rabanada, a marca carioca anuncia sua mais nova criação festiva: o Chocotone (panetone com gotas de chocolate), disponível em dois formatos de 500g cada, e a nova receita de alfajor. Luiz Quinderé, fundador da marca, comenta que todo ano pensa – junto dos sócios – em formatos e receitas novas para as festas. “No meio desse ano lançamos nossa primeira barra de chocolate própria. Por isso faz sentido trazer essa receita de panetone com gotas de chocolate. E nosso plano é seguir criando brownies, panetones, chocotones, doces e apostando nas combinações com chocolate”, disse o empresário.

 

Os consumidores poderão adquirir o Chocotone do Browie do Luiz para presentear, seja na lata prateada com um rótulo especial, disponível por R$ 60, ou através do saquinho de celofane decorado, por R$ 40. Já o alfajor está à venda em embalagem unitária de 70g (R$ 9).

 

Chocotone (500g)

Lata prateada com rótulo especial R$ 60

Celofane decorado R$ 40

Informações e venda: https://browniedoluiz.com.br/

 

Sobre o Brownie do Luiz

Em 2005, Luiz Quinderé (aos 15 anos) começou a fazer brownies para vender na escola, com a ajuda de Vânia, na época empregada da família e hoje sócia da marca. Juntos, faziam de 24 a 48 unidades que eram vendidas rapidamente. Após 16 anos, o Brownie do Luiz é uma empresa consolidada, com cinco sócios (incluindo Luiz e Vânia), que possui um portfólio de produtos diversos a partir da receita original. De embalagens personalizadas por artistas parceiros, passando por collabs com empresas sinérgicas, produtos sazonais como Ovos de Páscoa, até os recém-chegados Brownie Zero Açúcar e Cookie de Brownie.

‘Mancha de Dendê não sai – Moraes Moreira’ chega ao Rio de Janeiro

Após temporada de sucesso em Salvador, com um público de 25 mil pessoas, a exposição ‘Mancha de Dendê não sai – Moraes Moreira” chega ao Rio de Janeiro em 10 de dezembro, a partir das 12h, no Museu Histórico da Cidade, no Parque da Cidade, na Gávea. Apresentada pelo Ministério da Cultura e Instituto Cultural Vale, através da Lei Federal de Incentivo à cultura é uma realização da Maré Produções, Ministério da Cultura e Governo Federal União e Reconstrução na régua.

 

o projeto é uma iniciativa inédita que proporciona aos visitantes uma imersão sensorial na história da música popular e da cultura brasileira por meio da vida e obra de um dos artistas mais relevantes do país.

 

Gratuita, única e exclusiva, a exposição – realização da Maré Produções e Moraes Moreira, ainda em vida – apresenta uma retrospectiva abrangente da carreira do artista, destacando sua versatilidade como compositor, suas parcerias musicais, suas incursões na literatura e suas raízes profundamente conectadas à Bahia.

 

Toda a atmosfera da mostra promove aos visitantes uma experiência sonora pela poesia de Moraes Moreira através de todo seu trabalho, explora a diversidade musical do Brasil, através das canções do artista, reconhecido por mesclar ritmos como frevo, baião, rock, samba, choro e música erudita em suas composições. Além disso, são evidenciadas suas colaborações musicais com seu filho Davi Moraes, bem como suas incursões no campo da literatura como cordelista e cronista de histórias da Bahia.

 

A exposição é uma merecida homenagem a esse legado duradouro e à sua personalidade marcante, refletida tanto em seu trabalho artístico quanto em suas raízes baianas. ‘Mancha de Dendê não sai’ foi idealizada pela produtora cultural Fernanda Bezerra e pela cenógrafa Renata Mota, que também assina a direção de arte e curadoria do projeto.

 

“Moraes Moreira, importante representante da música regional, é um verdadeiro ícone da cultura brasileira, com uma carreira que abrangeu diversas formas de expressão artística. Além de cantor, compositor e músico, ele também foi um agitador cultural, escritor, cantador e poeta. Sua produção artística foi intensa e significativa”, enfatiza a idealizadora e produtora cultural Fernanda Bezerra.

 

‘Mancha de Dendê não sai – Moraes Moreira’ ficará em cartaz no Museu Histórico da Cidade entre 10 de dezembro e 12 de fevereiro e poderá ser vista, com entrada franca, de terça à domingo, das 9h às 16h. A classificação é livre e o Museu Histórico da Cidade fica na Est. Santa Marina, s/n, Gávea.

“Mancha de Dendê não sai – Morais Moreira”

Museu Histórico da Cidade Est. Santa Marina, s/n, Gávea Gratuito

Horário: entre 9 e 16h, de terça à domingo

https://museudacidadedorio.com.br/

Futurista britânica vem a Salvador para Festival Afrofuturismo da Vale do Dendê

Conhecimento ancestral, práticas indígenas e tecnologias digitais. Esses são os pilares da filosofia Cyborg Shamanism, ou Xamanista Ciborgue, criada pela futurista britânica Adah Parris, uma das atrações internacionais do Festival Afrofuturismo – Ano V, que acontece dias 20 e 21 de novembro de 2023, no Centro Histórico de Salvador.

 

Defensora ativa da sensibilização para a saúde mental e da diversidade cultural, a famosa Inovadora Emergente Global da TED Talks irá apresentar a perspectiva única sobre inovação, transformação e tecnologia que a levou a explorar o impacto da tecnologia na identidade, cultura, economia e ecossistemas.

 

Além da futurista britânica, nomes como Tânia Tomé (Moçambique), Ana Mosquera (Peru), Yuniya Khan (Guiana/EUA), Ronell Perry (EUA), Getrude Matshe (Zimbabue) se unirão a palestrantes nacionais como Ubiraci Pataxó, mestre do saber e aprendiz de Pajé, Grazi Mendes – Head de Diversidade, Equidade e Inclusão na ThoughtWorks, Karen Santos, cofundadora da UX para Minas Pretas , entre outros, para promover um intercâmbio cultural a partir do tema central do evento – De volta para o futuro, propondo discussões pertinentes e relevantes para a construção de um novo mundo ideal.

 

Nesses dois dias de Festival Afrofuturismo, o Centro Histórico de Salvador será transformado em Cidade Afrofuturista, onde a Casa Vale do Dendê e mais seis espaços irão abrigar a programação composta por palestras, talk shows, painéis, uma Arena Gamer e atividades culturais simultaneamente.

 

O Festival Afrofuturismo tem um público formado por jovens profissionais, empreendedores, executivos nacionais e internacionais, criadores de conteúdos, jovens geeks e da periferia baiana, gamer e conta com patrocínios do iFood,e YouTube.

 

Em alinhamento com a proposta do evento no que se refere a promoção do intercâmbio cultural, a quinta edição do Festival receberá a delegação de Gana e convidados de países como Argentina, Nigéria, Colômbia, Peru e Estados Unido e Gana também confirmaram presença.

 

Diversidade em dados – Pela primeira vez no Brasil, a empresa Diversity Atlas, da Austrália, irá proporcionar uma nova experiência na coleta de informações sobre diversidade, cultura e demografia tendo como base a ancestralidade e história pessoal de cada participante.

 

Estes dados serão utilizados para desenvolver estratégias que visam melhorar o desempenho, inclusão e bem-estar social, a partir do mapeamento do perfil do público do evento.

A abordagem orientada por dados representa uma maneira inovadora de promover a diversidade e a inclusão, e o Festival Afrofuturismo é um bom espaço para esta experiência tendo em vista a expertise da Diversity Atlas no reconhecimento dos dados para elaboração das estratégias de diversidade, inclusão e desenvolvimento.

 

 

Sobre o Festival – Desde 2018, o Festival Afrofuturismo passou por diversas fases e modelos e vem se consolidando como evento de referência para inovadores e criativos de todo o Brasil, colocando Salvador – Bahia no mapa global de eventos ao lado de Austin (SXSW), Cannes (Festival de Cinema e Publicidade), Lisboa (Web Summit), Nova Orleans (Essence Festival) e outras cidades globais.

 

Sobre a Vale do Dendê – A Vale do Dendê é uma organização social criada para fomentar ecossistemas de inovação e diversidade tendo como foco sede a cidade de Salvador, Bahia, mas com ações em todo o Brasil. A organização teve início em novembro de 2016 e desde então já fomentou ecossistemas diversos em áreas como Gastronomia, Moda, Tecnologia, Games, Podcast e Música. Já foram aceleradas cerca de 300 empresas em ciclos de treinamento, consultorias networking e doações financeiras. Além disso, mais de 1000 empresas já participaram de atividades da organização que mantém sua sede na principal estação de metrô e ônibus do Norte e Nordeste onde passam mais de 500 mil pessoas por dia e acaba de inaugurar um hub de eventos no Centro Histórico de Salvador onde realiza ativações com marcas e eventos nacionais e internacionais.

 

SERVIÇO:

 

O quê: Festival Afrofuturismo – Ano V

Quando: 20 e 21 de novembro de 2023

Onde: Centro Histórico de Salvador

Contato: festivalafrofuturismo@gmail.com

Fotos:  https://drive.google.com/drive/folders/13dGiogkrTWYWpDnXtNU16InEg1VPpGWI?usp=sharing

DJ Zé Pedro lançou livro no RJ e em SP

O DJ Zé Pedro recebeu amigos para celebrar o lançamento de seu livro “Mela Cueca – As canções de amor que o mundo esqueceu” no Rio de Janeiro e em São Paulo. Passaram por lá os amigos Alexandre Herchcovitch, Eduardo Dugois, Johnny Luxo, José Simão, Adriane Galisteu e seu filho Vittorio, Ana Cláudia Michels, Letícia Spiller, Duda Leite, Zélia Duncan, Claudia Lima, Luciana Curtis, Lorena Calábria, Patrícia Coelho, Dandara Ferreira, entre outras personalidades.

 

Com prefácio de Lulu Santos, o livro da editora Garota FM Books traz uma introdução autobiográfica, na qual Zé Pedro explica através de sua vivência familiar e amorosa o seu amor pelo estilo musical. Além de confidências do autor, a obra lista canções mela-cueca que o encantaram na década de 1970, e informações sobre as love songs e os artistas desse universo.

Sobre o autor

Zé Pedro é um artista dedicado à Música Popular Brasileira. Apesar de ser conhecido com DJ, é considerado uma enciclopédia da MPB. Nessa área, ele atua em qualquer esfera: produtor, curador, dono do selo Joia Moderna, apresentador de televisão e até escritor, com a publicação do livro Meus Discos e Nada Mais (2007). Seu trabalho não está limitado apenas a se apresentar em clubes e festas: Zé Pedro procura a cada dia conquistar seu público através da sua irreverência e criatividade.

 

Sobre a editora

A Garota FM Books é uma editora de publicações voltadas para o mercado da música criada em 2018, durante a produção do “Discobiografia Mutante: Álbuns que Revolucionaram a MPB”, de Chris Fuscaldo. Depois dele, vieram: “Jimmy Page no Brasil” (2020), de Leandro Souto Maior; “Renato, o Russo” (2021), de Julliany Mucury; “1979 – O ano que ressignificou a MPB” (2022), organizado por Célio Albuquerque; “Cantadas – Ensaios sobre 35 grandes vozes de mulheres da música brasileira” (2022), de Mauro Ferreira; “O Produtor da Tropicália – Manoel Barenbein e os Álbuns de um Movimento Revolucionário” (2022), de Renato Vieira; e “De Tudo Se Faz Canção – 50 Anos do Clube da Esquina” (2022), organizado por Márcio Borges e Chris Fuscaldo.

“Suplementos”: a nova exposição de Nina Pandolfo marca sua estreia na Zipper Galeria

A artista Nina Pandolfo apresenta ao público sua mais recente exposição, intitulada “Suplementos”, na Zipper Galeria, situada no Jardim América, em São Paulo (SP). Gratuita, a mostra apresenta 15 telas e uma escultura colaborativa, proporcionando interação com todos os visitantes.

 

Conhecidas por suas cores vibrantes, seja em tons pastéis ou em escalas mais intensas, as telas de Nina destacam-se pela presença de personagens lúdicos. Em “Suplementos”, a artista explora temas relevantes como a conexão humana, o legado e a resiliência.

 

Na escultura colaborativa “Expansão do meu Ser”, os visitantes têm a oportunidade de deixar uma mensagem de motivação, fé ou amor, para que outra pessoa retire, reforçando assim um ciclo de votos positivos. As pessoas podem redigir uma mensagem e colocá-la na árvore, permitindo que outra pessoa também a recebam.

 

“A exemplo de vitaminas que tomamos para repor e complementar a saúde do corpo, Suplementos propõe suprir e dialogar com outro tipo de carência para que a gente tenha uma vida melhor. Sair do aspecto individualista para um olhar gentil e de empatia com o outro”, comenta Nina.

 

Dentre as peças expostas, duas telas que permitem interação animada via Instagram merecem destaque. Além de animadas, os elementos reagem ao toque na tela, e uma delas apresenta elementos 3D (esculturas) no ambiente para uma imersão ainda mais profunda.

A exposição segue com uma série de seis obras em que a artista utiliza uma técnica nova entre as que costuma aplicar, trata-se do pouring – em que a artista derrama a tinta sobre a tela contemplando e provocando o movimento em que os líquidos se espalham e se fundem, e passa a trabalhar a partir dessa composição já completamente seca. Nessas obras, como se estivesse cultivando um jardim, a artista propõe que cada semente representa um sentimento fundamental para que a vida floresça: Entusiasmo, empatia, esperança, amor, paz e gratidão

 

Além das criações de Pandolfo, a exposição é enriquecida pela presença de uma monumental escultura inflável representando um vagalume gigante no telhado da galeria. Essa instalação, simboliza a esperança e a luz em meio às sombras.

 

“Suplementos” permanecerá em exibição na galeria Zipper até o dia 20 de dezembro, proporcionando uma experiência enriquecedora e inspiradora aos apreciadores da arte.